27 de set de 2009

Desenhos Rupestres






A Arqueologia encontrou desenhos rupestres e em cerâmicas em diferentes continentes. Teriam a mesma origem?
"O labirinto unidirecional é considerado um caminho para o auto-conhecimento. Nossos ancestrais usaram essa forma ao longo dos tempos e deixaram obras de arte relacionadas aos labirintos que instigam nossa imaginação.
A beleza dessa forma reside em seu apelo universal, uma vez que ela não está vinculada a nenhum tipo de fé ou tradição, de modo que toda a pessoa que percorrer seu caminho, com intenção, pode extrair dessa experiência o que precisar.
O labirinto é um meio de meditação que nos oferece a oportunidade de ouvir a nós mesmos.
O movimento físico em direção ao centro do labirinto corresponde a um movimento interno ao centro profundo em nosso interior, no qual somos um ser integral e intacto, mesmo que estejamos doentes ou sofrendo. Portanto, o caminho do labirinto nos leva por uma jornada interior de cura em direção ao bem-estar pessoal e à renovação espiritual.
A cruz no centro desses labirintos parece sugerir as quatro direções - Norte, Sul, Leste e Oeste - reverenciadas na tradição dos nativos americanos.
Nos tempos atuais, precisamos alcançar um equilíbrio entre a razão masculina e a intuição feminina. O labirinto equilibra os "opostos" e traz alívio à profunda estiagem espiritual de nosso tempo; seu caminho curvo expressa o elemento feminino; os pontos de contorno são fixos, onde o movimento quase para, o masculino. Na trilha experimentamos as duas forças atuando em harmonia, podendo ser profundamente satisfatórias e terapêuticas."

Caminho Para Meditação e Cura, de Helen Raphael Sands, lançado pela Madras Editora. Tradução: Henrique Amat Rêgo Monteiro. Aos quais saudamos e agradecemos.

Um comentário:

  1. Os arqueólogos encontraram desenhos de labirintos semelhantes muito antigos em cerâmicas, pedras e obras de arte em diferentes continentes. Teriam a mesma origem?

    ResponderExcluir